16 de fev de 2007

Coco Verde e Melancia livremente urbanizado Por HÉLIO BRANDÃO


Releitura vanguardista do original de Zé Camelo, publicado no início do século vinte.

Se o que eu narro agora
é verdade ou não, talvez...
seja um clichê romanesco
arremedo em português
devo-me aqui declarar
a quem possa interessar
sou Joca de Juarez.

Tudo começa no nada
ou do nada o seu revéz?
o amor é intransigente
quer os dedos e os anéis
atira e acerta em cheio
não aceita nove-e-meio
seu mínimo exige dez.

2 comentários:

Anônimo disse...

quero ver a historia ja li a muitos anos quero ver novamente

Lucia do R.J disse...

eu tambem quero..gostaria de ler toda a história. li quando tinha ums 10 anos, agora já tenho 50.e sinto saudade desse folheto de cordel.de os que li esse foi o que eu mais gostei..ass..lucia do r.j